Aconteceu, no dia 15 de maio, no auditório da Fasi, Mesa Redonda com o tema “A defesa do SUS e suas conquistas na Saúde Mental: o apontamento dos retrocessos com a política atual”. O evento fez parte da Semana da Luta Antimanicomial, realizada pelo curso de Psicologia e que tem como objetivo lutar pelos direitos de pessoas com transtornos mentais e pela reforma dos tratamentos realizados.

A docente organizadora do evento e supervisora de estágio da Fasi, Anne Raíssa Brante, ressaltou a relevância do debate. “Todos os anos, na semana de 18 de Maio, a sociedade faz uma reflexão sobre a história da reforma psiquiátrica no Brasil e sobre a situação atual da Rede de Atenção Psicossocial. É um tempo de debater e de discutir como avançar. Esse ano o debate ganhou força impulsionado pela insatisfação de usuários do SUS e trabalhadores da saúde com o ataque que o Sistema Único de Saúde vem sofrendo e principalmente com o retrocesso proposto pela nova política de saúde mental. O que tem sido criticado é primeiramente a maneira arbitrária com que a nova legislação tem sido colocada, sem discussão entre os atores sociais envolvidos e afetados diretamente por ela. Assim, este evento vem convocar toda a comunidade acadêmica para se posicionar diante desse retrocesso”, frisou a docente.

Segundo o acadêmico do 10º período, Tiago Costa Ferreira, o evento veio para mostrar a história da Saúde Mental e o papel do psicólogo frente à luta pela reforma dos tratamentos. “Enriquece-nos enquanto profissionais e sujeitos, cabe a nós, futuros psicólogos, respeitar e tratar o sofrimento do outro com dignidade e respeito à subjetividade. Então, é de fundamental importância falar do tema e conhecer a história da saúde mental”, finalizou.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *