O Conselho Regional de Nutrição – 9ª Região (CRN9), em parceria com a Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna – Fasi, realizou, na última quinta-feira, 14 de março, o 26º Encontro do Ciclo de Debates: “Entre que a casa é sua”. No episódio, a nutricionista e conselheira do CRN9, Marina Moreno Wardi, ministrou palestra com tema “Diabetes e Nutrição: Orientações e posicionamentos atualizados”.

Acadêmicos e docentes do curso de Nutrição Fasi participaram e atualizaram seus conhecimentos acerca da abordagem. Segundo a coordenadora do curso de Nutrição Fasi e delegada do CRN9, Ilana Gonçalves: “o evento visa levar conhecimento acerca da diabetes para profissionais e acadêmicos do curso de Nutrição. A proposta é falar sobre a atuação do nutricionista na prevenção e tratamento da doença, visto que é uma patologia que cresce de forma assustadora, e o nutricionista tem um papel primordial no tratamento dessa doença, seja na forma da prevenção, no caso da diabetes tipo 2; durante o tratamento o profissional também tem um papel importante e, em alguns casos, a alimentação pode até curar a doença, no caso da patologia do tipo 2”, explicou a coordenadora.

O que é diabetes?

 

Diabetes Mellitus é uma doença caracterizada pela elevação da glicose no sangue (hiperglicemia). Ela é causada devido defeitos na secreção ou na ação do hormônio insulina, que é produzido no pâncreas, pelas chamadas células beta. A insulina tem como papel principal, promover a entrada de glicose para as células do organismo de forma que ela possa ser aproveitada para as diversas atividades celulares. A falta da insulina ou um defeito na sua ação pode resultar em acúmulo de glicose no sangue, o que é chamado de hiperglicemia.

Orientação nutricional para controle do diabetes

 

Com acompanhamento nutricional, é possível prevenir e controlar as taxas de glicose no sangue. Marina frisa sobre qual o papel e importância do profissional nestas ações. “Orientar sobre diabetes é extremamente importante, pois há vários mitos e crenças em torno da patologia. Então, é importante tanto para o profissional quanto para a população, entender como deve ser a alimentação de um paciente diabético”, cita.

Marina, que é Mestre em Educação em diabetes, deu algumas dicas de como o profissional deve atuar frente à pacientes com a doença. “No geral, as orientações alimentares são parecidas com as orientações populacionais para uma população geral, o que devemos pensar, além disso, é na rotina da pessoa, na idade, peso, entre outas características”, afirmou.

Marina ressaltou, ainda, a importância de discutir o tema com estudantes da área. “Essa abordagem não é tão disseminada nas faculdades, por isso, quando aprofundamos neste estudo, as chances de haver erros com pacientes é muito menor. Então é extremamente relevante que os estudantes aprimorem seus conhecimentos, até mesmo durante a graduação, para que, quando tiverem que atuar neste caso, saibam como lidar e quais orientações passar ao paciente”, explicou.

Formação profissional

 

Além de estudantes, egressos e docentes da área estiveram presentes na palestra. Segundo a coordenadora do curso de Nutrição Funorte, Érika Jovânia, que participou como ouvinte: “o CRN9 trazer a abordagem destes temas é uma motivação tanto para o profissional quanto para o acadêmico, pois é uma forma do conselho mostrar as questões éticas da profissão e atualizar os conhecimentos de todos nós. Além disso, permite a troca de experiências entre os profissionais que atuam em outras regiões”, ressaltou a nutricionista.

Egressa do curso da Funorte, Lorendane Caetano Agapito falou sobre sua área de atuação e a relevância do tema para aprimorar a sua prática. “É importante participar desta palestra porque trabalho em hospital e esta doença comum entre os pacientes que recebemos. Então, atualizar meus conhecimentos acerca disso, é fundamental para me tornar uma profissional mais capacitada”, explicou.

Isabel Cristina Figueiredo Vieira também é egressa da Funorte e atua em hospital. Ela explica que, “acredito ser bastante relevante poder atualizar meus conhecimentos e ouvir as experiências de uma profissional que atua em outra região. O CRN9 traz um assunto muito importante, já que existem muitos casos da patologia no decorrer do trabalho de muitos profissionais da área”, destaca a nutricionista.

Ao final da palestra, profissionais e estudantes puderam tirar dúvidas com a palestrante. Para Andréa Cristina Guimarães, acadêmica do 7º período do curso de Nutrição Fasi, “esta discussão nos prepara para um atuação futura. Sabemos que a diabetes pode ser controlada através da alimentação adequada, trazendo uma melhor qualidade de vida para o paciente. Então, a palestra veio para nos direcionar para a melhor conduta dietética, garantindo que uma pessoa nessas condições possa controlar a doença. Além de fornecer para a população, de um modo geral, orientações de uma alimentação mais adequada como forma de prevenção”, finalizou a estudante.

 

 

 

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *