Aconteceu na última sexta-feira, 17 de maio, no pátio da Fasi, apresentação de trabalhos científicos desenvolvidos por acadêmicos de diversos cursos das Faculdades Funorte e Fasi. O evento faz parte da programação do I Congresso Internacional de Farmácia e I Simpósio Internacional de Biomedicina Estética.

De acordo com o coordenador do Centro de Pesquisa da Fasi, Henrique Andrade Barbosa, o objetivo das apresentações é transmitir aos estudantes a importância dos trabalhos científicos para a formação acadêmica. “Os alunos já devem, desde o primeiro período dos cursos, se acostumarem a criar a cultura de pesquisa e de participação em congressos e outros eventos, para que eles possam se acostumar com essa linguagem e postura de apresentação. Além disso é uma maneira especial para incentivá-los a prosseguir na pesquisa científica, finalizando um congresso tão grande com os trabalhos feitos por discentes e docentes da Instituição” diz o professor.

Durante as apresentações dos trabalhos, os acadêmicos foram avaliados por professores do Centro de Pesquisa que utilizaram as ferramentas do Google para levantamento de dados e lançamento das avaliações. O professor Mestre Ronilson Ferreira, orientador do Centro de Pesquisa Funorte e Fasi comenta sobre a relevância das apresentações e da utilização da plataforma Google na avaliação: “É de extrema importância que os alunos façam este tipo de trabalho para que, cada vez mais, possam enriquecer sua formação e ainda ajuda a complementar os conteúdos vistos em sala de aula. Em ralação à utilização do Google, hoje pudemos fazer nossa avaliação e enviar em tempo real facilitando muito o nosso dia a dia, possibilitando nossa interação com as tecnologias e deixando de lado o uso do papel e caneta, sem contar que não corremos mais o risco de perder os documentos” enfatiza o professor.

Para a acadêmica Aricleia Alves dos Santos, do 10° período do curso de Fisioterapia, a apresentação de trabalhos científicos levam os estudantes a buscarem conhecimento além da graduação. “A partir dos projetos que desenvolvemos para o I Congresso Internacional de Farmácia, foi possível enxergar uma possibilidade de uma futura tese de mestrado. Também foi executável a interação das disciplinas do meu curso (Fisioterapia) com as da farmacologia, mostrando a interdisciplinaridade entre as áreas da saúde”, completa a acadêmica.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *